“O MEU FILHO DORME DE BOCA ABERTA. DEVO PREOCUPAR-ME?”

A função respiratória normal faz-se por via nasal, pois é através do nariz que ocorrem três importantes funções: a humidificação do ar; o aquecimento do ar e a filtração das impurezas.

Quando um indivíduo respira predominantemente pela boca por um período de pelo menos seis meses, é designado respirador oral.

Causas da respiração oral:

Várias causas podem estar na origem da respiração oral, podendo dividir-se em dois tipos: causas obstrutivas e causas não obstrutivas. As causas obstrutivas são todo e qualquer obstáculo que possa dificultar a respiração nasal, como:

  • Rinite;
  • Sinusite;
  • Bronquite;
  • Hipertrofia dos cornetos;
  • Hipertrofia dos adenoides;
  • Desvio do septo;
  • Malformações nasais;
  • Pólipos;
  • Corpos estranhos;
  • Limpeza ineficaz do nariz;
  • Etc.

As causas não obstrutivas derivam de um hábito/postura viciosa como consequência de um comportamento que tenha promovido o padrão respiratório oral (ex.: sucção do dedo ou da chupeta). Quando, apesar dos obstáculos que dificultavam ou impediam a respiração nasal terem sido removidos, continuam a promover a respiração oral.

Consequências da respiração oral:

A médio/longo prazo este padrão respiratório poderá acarretar prejuízos significativos, nomeadamente:

  • Postura alterada;
  • Alterações morfológicas da face: (arcada dentária, língua, bochechas, mandibula);
  • Má deglutição;
  • Mastigação ruidosa, de boca aberta, ou de um só lado;
  • Disfonia/rouquidão;
  • Fala imprecisa;
  • Sonolência e olheiras;
  • Irritabilidade;
  • Falta de atenção e concentração;
  • Baixo rendimento escolar;
  • Respiração ruidosa
  • Obstrução nasal;
  • Halitose/mau hálito;

A criança não terá necessariamente, todas as alterações acima citadas, mas é importante que a família esteja atenta para que o tratamento seja o mais precoce possível.

Tratamento da respiração oral:

Será necessário um trabalho de equipa entre vários profissionais, nomeadamente Pediatra, Otorrinolaringologista, Terapeuta da Fala, Dentista entre outros, dependendo do caso em questão.

O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela motricidade orofacial e tem como principal objetivo propiciar a harmonia das funções estomatognáticas (respiração, fala, mastigação, deglutição e sucção), promovendo assim o equilíbrio miofuncional. Deste modo, apresenta um papel importante na reabilitação dos respiradores orais, promovendo a aprendizagem do uso do nariz durante a respiração e, por consequência, um desenvolvimento harmonioso da face.